O Mai Tai é o maior representante da coquetelaria Tiki, mas provavelmente você ainda não tomou um!

A lenda diz que ao provar este coquetel pela primeira vez um cliente do bar exclamou: “Mai Tai, Roa Ae!” uma expressão polinésia que traduz para “Delicioso, de outro planeta!”

Inventado em 1944 por Trader Vic (Victor Bergeron), este coquetel é um grande clássico que mostra muito bem como aproveitar ao máximo os conhecimentos mixológicos sobre bebidas e manter uma receita simples e interessante.
“O melhor coquetel que podemos criar, com os melhores ingredientes disponíveis.”mai tai 4Como todo bom clássico, o Mai Tai é cercado de lendas e polêmicas.

Em 1933 Don The Beachcomber, o precursor da coquetelaria Tiki, criou um coquetel chamado Mai Tai Swizzle, contudo existem grandes evidências de que Trader Vic criou o seu Mai Tai independente das receitas de Don.

Para ler quase 10 páginas sobre a polêmica de quem realmente inventou este coquetel leia o livro Beachbum Berry Remixed.

O fato é: por sua simplicidade e riqueza a receita mais aceita é a de Trader Vic.maitai2Criado para valorizar um rum delicioso de 17 anos, este coquetel ensina como valorizar o seu destilado base de maneira simples e elegante.

Sobre o rum que inspirou o Mai Tai, Vic avisa: “O sabor deste rum maravilhoso não deve ser mascarado com grandes adições de frutas e temperos”, um aviso que passa batido por todos que transformam este clássico em um carro alegórico.

Quando preparado com maestria o coquetel apresenta sabores frutados que confundem quem bebe, levando à algumas receitas que incluem sucos de abacaxi ou laranja. Mas na verdade é apenas o destilado base brincando com o paladar.

Conheça a coluna mensal Tiki de Verdade, de Puma Fuenzalida

Tendo o clássico DNA de um Daiquiri este Drinque do Baú valoriza as notas amendoadas de um bom rum envelhecido, contrastando as notas de frutas do rum com um toque cítrico de licor de laranja.

Desta forma traçamos as notas que compõem esta bebida: um bom rum envelhecido, suco de limão fresco, toque cítrico de licor de laranja e um toque amendoado.

Com tantas bebidas densas e de sabor rico fica claro que este coquetel deve ser bem agitado e ter um aroma que ajude o paladar.

maitai3Apresento agora a receita com medidas para este delicioso clássico esquecido.

60 ml de rum envelhecido
30 ml de suco de limão tahiti fresco
15 ml de licor de laranja (Curaçao)
15 ml de xarope de amendôas (Orgeat)

Bater com gelo e servir em copo baixo com gelo novo.
Decorar com ramo de hortelã e fatia de abacaxi.
Opcional, float, que é um pouco de rum envelhecido por cima do drinque.

O aroma deste coquetel é tão importante quanto as bebidas em si, o frescor do hortelã, com as notas frutadas do abacaxi e as notas de especiarias do rum ajudam o paladar a aproveitar o coquetel.

Sobre algumas especificidades dos ingredientes, já vimos as diferenças entre Triple Sec e Curaçao (El Presidente), já o Orgeat (pronúncia Orjá) é um licor de amêndoas de textura aveludada, cor turva e com acréscimo de notas florais.

Compreender o que faz um clássico é o caminho para fazer coquetéis incríveis.
Você já tomou um verdadeiro Mai Tai?
Conte nos comentários abaixo e compartilhe suas experiências com a tag #DrinquesDoBau.

Okole Maluna! Saúde!