Diretamente dos porões do Titanic, conheça o Marie Brizard Danzig

titanicA garrafa raríssima de Marie Brizard Danzig vem da adega do colecionador Michel-Jack Chasseuil e tem uma história curiosíssima para os amante de bebidas improváveis. Chasseuil identificou as 100 garrafas mais raras da sua coleção e as agrupou em um livro chamado As 100 Garrafas Extraordinárias: da mais bela adega do mundo. Assim descobrimos o Marie Brizard Danzig, um licor datado em 1912, que estava ligado ao destino do RMS Titanic.

Em 1988 os descendentes de Louis Renault (o fundador dos carros Renault) fizeram um leilão, onde Chasseuil arrematou a garrafa. Não se sabe o valor que foi pago no leilão dos descendentes de Renault. O ancestral de Renault pretendia atravessar o Atlântico em abril de 1912 a bordo do navio, mas por razões desconhecidas, decidiu por não partir. Então, ele rastreou o licor Danzig, depois de saber que ele foi servido a bordo no navio.

Fato é que nesta viagem o navio mais famoso de todos os tempos naufragou, chocando-se com um iceberg, com mais de 2000 pessoas a bordo e 1500 pessoas mortas, tornando-se assim um dos maiores desastres marítimos de toda a história. Os destroços do Titanic só foram encontrados em 1985, após décadas de embarcações de busca pelo sue paradeiro. A lenda que se comprovou é que além de muita história, o Titanic carregava com ele uma riqueza sem precedentes. titanicÉ descrito como um licor com a propriedade de “purificar o sangue”, porque contém fragmentos de ouro 23 quilates. Danzig é feito à base de ervas e raízes, tem cor dourada e foi produzido na Holanda no século XVI. O licor Marie Brizard Danzig esteve exposto no Vinexpo Bordeaux de junho no stand da centenária Marie Brizard.