Hoje é o Dia Internacional do Gin Tônica, 09 de abril! Quero homenagear esse coquetel que já me deu tantos e tantos prazeres!

As pessoas dizem que fazer um Gin Tônica é muito simples, mas tenho uma outra teoria. Fazer Gin Tônica Simples é simples.

Algumas pessoas dizem, “Fazer um Gin Tônica é tão fácil como um Dry Martini” e para mim é por esse motivo que é tão fácil de errar na receita. Já repararam que aproximadamente 90% dos bares possuem Gin Tônica no cardápio. O quinino foi descoberto no Ocidente no fim do século XVI, quando os espanhóis conquistaram o Império Inca e se depararam com uma árvore usada para curar a febre. Diz a lenda que um soldado espanhol estava doente, e estando com sede, bebeu uma água escura que havia numa poça. Essa poça ficava embaixo da árvore de quinino, a Cinchona Pubescens  e estava cheia de quinino. O belo soldado dormiu e ao acordar, estava curado! Oh! Eis que descobriram as propriedades medicinais do quinino. A partir daí, levaram o quinino para todas as guerras para ajudar os soldados nas febres tão comuns na época. Porém a quantidade utilizada era altíssima, o que fazia a bebida se tornar extremamente amarga.Proporcionalmente, temos hoje em dia quase 1/7 da quantidade de quinino que se usava antigamente. Antigamente, se vendia quinino em pó, para a alta sociedade européia usar também como repelente de mosquitos .A combinação Gin com Tônica não poderia ter nascido em outro cenário. Soldados doentes, precisando descansar, quinino para afagar a febre e uma bebidinha para alegrar os jovens soldados. Lembram-se que a  Companhia Britânica das Índias Orientais invadiu e dominou o sudeste asiático? Pois foi aí que o Gin conheceu a Tônica! Com o tempo, a acidez do limão foi encorporada à dupla, basicamente por mascarar o amargor do quinino.

Atualmente, diversas águas de quinino são disponibilizadas pelo mundo, no Brasil, possuimos três ou quatro marcas de água tônica, e é pouco, fato. Porém no mundo existem marcas que apostam na diversidade das águas de quinino para conquistar clientes, como a Fever Tree.

Para quem não sabe, essas marcas de água não possuem mais o agente específico que causaria bem estar e fim das febres, que é o sulfato de quinino. Elas possuem na verdade o hidrocloreto de quinino, uma espécie de sal responsável pela sensação do quinino.

Deixando a história de lado, o Gin Tônica não é uma bebida para se arriscar. Deve ser seguido à risca sem alterações, pois do jeito que ela é, deve continuar sendo. Um drink perfeito.

Algumas dicas que podem fazer o seu Gin Tônica mais gostoso são:

– Usem gelo de alta qualidade, e use gelos gelados! (sim é possível que um gelo seja mais gelado que outro)

– Cortem o limão na hora. Ingredientes frescos são essenciais.

– Use uma água tônica de qualidade e deixe-a bem gelada.

– Por último, o gim deve ser de qualidade. O coração de um bom Gin Tônica é o gim. Não arrisque.