Todos os anos, especialistas do mundo inteiro fazem suas apostas para descobrir quais serão as tendências do ano que vem.

Descubra aqui a nossa aposta para 2017 e deixe a sua opinião sobre o que vai esquentar no mundo dos bartenders nesse próximo ano.

Storytelling como ferramenta para criação

Traduzindo seria algo como “contar uma história”. Bares estão se usando cada vez mais dessa ferramenta disponível no Marketing e Publicidade para vender mais e com melhor retorno, tornando um drinque algo memorável e compartilhável, criando uma conexão emocional e pessoal, uma inspiração.

Cartas de drinques estão sendo desenvolvidas com a proposta de contar uma história, de um momento, para um público específico, com ferramentas de comunicação muito conectadas com a realidade daquele local. E a partir deste estudo, são determinados cores, aromas, sabores, texturas e outras características. Só então, os ingredientes são buscados, para preencher necessidades mercadológicas, e não puramente sensoriais/intuitivas.  O resultado pode ser incrível se bem feito.storytelling

Bartender Multitarefas

Menos de uma década atrás, retiramos a coroa do bartender clássico e precisamos redefinir as atuações do bartender em clássico, freestyle, flair bartender e até outras funções/profissões como barista, sommelier entre outros.

Porém, com o aumento do interesse do cliente em novidade é cada vez mais necessário um profissional de destaque ter grandes habilidades em diversas áreas para poder atuar tanto preparando um café coado quanto um Aviation, sugerindo um vinho ou servindo uma cerveja de trigo apropriadamente.
toc_bartender

Teatralidade

O flair deixou de ser aquela dança de garrafas executadas por jovens bartenders de bandana e regata. Sem você perceber, ele foi parar dentro do lobby do hotel 5 estrelas, nas mãos mágicas de um bartender de terno e gravata, em movimentos orquestrados, gingados para dar ritmo e inovar no serviço do bartender.

O jigger parece que some das mãos, para reaparecer em um pouring longo, curto, longo e curto e de repente você se vê no meio dessa dança dos utensílios que o bartender te conduz.
Quantas vezes a bailarina girou nos dedos do barman? Não sabemos, mas foi bonito.

A internet divulga um sem fim de vídeos de movimentos curtos que os bartenders de todos os cantos do mundo estão treinando para repetir. Working flair a todo vapor.

Temos de Luca Cinalli à Hojo Tomoyuki, de Marian Beke à Vitaly Kolpin,  são tantos diferentes estilos e técnicas que você pode se divertir até encontrar o seu próprio. Se estamos nos robotizando? Sim. Se é moda e vai passar, sim.

Abertura de bares informais com qualidade

Quanto mais a sociedade se acostuma com coquetéis de qualidade no dia a dia, mais fácil fica introduzir a cultura de drinques nas camadas mais populares.  Isso faz com que novos bares, fora dos bairros nobres, com aluguéis mais baratos e propostas menos luxuosas possam ser desenvolvidas a longo prazo.

Nesse momento é muito comum que por trás do negócio estejam bartenders com uma carreira já desenvolvida, com seu público fiel e um projeto de bar para a vida toda.  Já começamos a ver bartenders abrindo seus próprios bares, como o Boteco Paramount (foto abaixo), Raiz Circulos Etílicos, Peppino e Guarita, mas no ano que vem esse movimento deve continuar mais forte.

Isso ajuda a impulsionar a nova geração de consumidores de drinques, que vão trocar a cervejinha rasa do boteco por um drinque fácil em um balcão amigo. boteco-paramount

Adesão dos bares de massa à coquetelaria clássica bem executada

A onda dos bares com cartas de assinatura, sazonais, marcadas por estação, com um toque único do master blaster mixologista está por fora.

coquetéis classicosNinguém quer mais esperar tanto para beber, ninguém quer ter que ouvir cinco minutos de explicação do drinque servido. E de fato, a coquetelaria clássica voltou com tudo, para nossa alegria.

Pedir um Old Fashioned, New York Sour, um Martinez, um Daiquiri bem feito não é mais uma questão de sorte.
Bares menos especializados estão melhorando muito sua capacidade de servir clássicos, usando bebidas, técnicas e apresentação de alta qualidade.