Drinque Tropical, quando você menos espera, a primavera já acabou e o verão está aí. E os clientes começam a pedir drinques mais leves e refrescantes.

Seja você bartender ou cliente, não tem para onde fugir. Quando o verão chegar, junto com ele, as férias, e lá vamos nós todos inventar de criar um drinque para os amigos. Mesma história de sempre, não parece?

Dessa vez não! Com as dicas do Mixology News, você vai arrasar nas festas na piscina, no churrasco e na ceia de fim de ano. drinque tropical

Primeiro, o que é um Drinque Tropical??

Drinque é uma bebida composta de dois ou mais ingredientes, manipulados pelo próprio executor da bebida. Só isso, não vamos entrar em termos técnicos.

Já o Drinque Tropical precisamos de uma explicação um pouco maior. Tropical é aquilo que é inerente aos trópicos, que alí está ou que com ele se assemelha.

Na imagem abaixo conseguimos ver as zonas tropicais, basicamente lugares onde o calor reina, entre os conhecidos Trópicos de Câncer e de Capricórnio. E a primeira coisa que você tem que guardar em mente é, CALOR.climastropicaisCalor influencia tudo. Quando há excesso de calor, há excesso de frutas, ervas e temperos, e principalmente, elas estão sempre na forma mais madura possível!

Se você quer um Drinque Tropical, você precisa lembrar da seguinte fórmula mágica:

DRINQUE TROPICAL = FRUTAS + REFRESCÂNCIA + DOÇURA

Porque doçura? Nos trópicos, as frutas consumidas são as maduras (diferentes e lugares como os países nórdicos e o sul da Argentina, por exemplo).

Pense numa manga bem madura, escorrendo na mão e num punhado de blueberries. Essa é a diferença. Quando temos frutas maduras, temos frutose e frutose é doce. Ou seja, as pessoas dos trópicos estão historicamente acostumadas com sabores mais potentes, mais doces.

A manga exala perfume, que indica se a fruta está doce e madura

Então estamos combinados. Frutas + Refrescância + Doçura. Esse é caminho. (mas não o único, falamos daqui a pouco)
Não pera lá. Doçura não é uma lata de leite condensado, ok? Drinque não é sobremesa, ok? Estamos de olho em nesse gordinho(a) que te habita.

Próximo passo, lembre-se dos clássicos. 

Pra que inventar a roda? Lembre-se das combinações que sempre deram certo, dê um twist de criatividade e não erre.

O que você pode aprender com os drinques caribenhos, no berço do clima tropical?
Bom, por exemplo, com a Pina Colada, a gente aprende que  “Abacaxi + Coco” são ótimos juntos. Porque não arriscar um suco de abacaxi com água de coco??

E com o Mojito, típico drinque cubano? Que ervas quando recém colhidas, são ótimas para deixar o drinque refrescante e que águas gaseificadas são ótimos para manter o drinque mais leve.
E com o Daiquiri, Margarita e Capirinha. Que a combinação cítrica + açúcar funciona sempre. Sempre.

Vá a feira. 

Se vai ter festa no fim de semana, programe uma ida a feira mais próxima, de quinta a sábado para comprar as frutas mais frescas, uma bela passada na feira resolve 50% do seu problema.

Compre melancia, abacaxi, carambola, maracujá, morango, limão, laranja e outras tantas frutas tropicais. Todas as frutas tropicais? Não, nem todas. A não ser que você tenha uma receita infalível, evite bananas, mamão, e frutas mais firmes como como caquis.feira

Receitas mais secas podem não funcionar. Tome cuidado.

Estamos na moda do Negroni, Old Hickory, Dry Martini e várias outras receitas mais secas, muito alcoólicas. Talvez, apenas talvez, ela não seja a melhor pedida para o verão escaldante na piscina.

Com o grande calor do verão, o corpo pede reidratação, e o álcool faz exatamente o contrário.  Se quiser ir pela moda, vá de Spritz, uma bebida super refrescante à base de Aperol, espumante e laranja.

Quer surpreender com uma receita que ninguém nunca provou? Faça um Dark and Stormy, a base de rum e gengibre, ou um Mai Tai, que combina sabores cítricos com um Orgeat, xarope de amêndoas tiki.

Outra dica é. Fuja de drinques quentes. Não é a hora de arriscar  Irish Coffee .
Guarde suas habilidades para o inverno. O mesmo serve  para o Quentão e Hot Toddy.

Esqueça as frutas. Abra a cabeça e se arrisque. 

Sempre tem aquele colega que diz.  “Ah, mas eu não gosto assim, tipo caipirinha.” Pra ele, que não é muito fã de frutas, ofereça uma combinação bem simples de: 1/3 de destilado, 2/3 de refrigerante e uma fatia de cítrico.

Pode ser rum com coca, no caso da Cuba Libre. Pode ser gin com tônica, o próprio Gin Tônica ou vodka com refrigerante de laranja, o conhecido ScrewDriver. Você também pode inventar como whisky com água de coco ou aperol com mate gelado. Não tenha medo e arrisque.

Aprenda a preparar vários drinques incríveis aqui