O Seelbach Cocktail é um drinque do baú que foi criado por engano, mas virou o coquetel de assinatura do hotel em que foi criado.

Durante a reconstrução do bar do Hotel Seelbach no final dos anos 90, o bartender Adam Seger, responsável pelo novo bar descobriu nos arquivos do hotel um antigo coquetel de assinatura. Localizado em Louisville, Kentucky o hotel centenário aparece na obra “O Grande Gatsby”.

Reza a lenda que, em 1912, um casal de New Orleans estava hospedado no hotel durante sua lua de mel e pediram um Manhattan e um Champagne Cocktail.

Um bartender desastrado deixou que um coquetel derramasse sobre o outro tendo que fazer as bebidas novamente, mas dando a ideia para o nosso drinque do baú.Como a combinação é baseada na mistura destes dois clássicos os ingredientes são whiskey, de preferência um Kentucky Bourbon, licor de laranja, bitters – uma mistura de Angostura e Peychaud’s – e espumante.

Sem o vermute o Seelbach Cocktail parece muito com um Champagne Cocktail ao estilo americano, mas o uso de dois tipos de bitters diferentes faz uma intrigante combinação!

Devido à Proibição Americana, este drinque do baú foi perdido e muito se deve à Adam Seger por ressuscitá-lo. Atualmente é um coquetel que aparece em cardápios de vários bares ao redor do mundo!

Apresento agora uma receita com medidas para este delicioso clássico esquecido.

30 ml de bourbon whiskey
15 ml de triple sec
7 dashes de Angostura Bitters
7 dashes de Peychaud’s Bitters
120 ml de espumante brut ou champagne

Misture os ingredientes com gelo, sirva numa taça flute resfriada e complete com o espumante. Decorar com um twist de casca de laranja.

Certamente esta bela história é fruto da imaginação de Seger e serviu para impulsionar seu trabalho e carreira. Contudo, o coquetel foi publicado no livro “Vintage Spirits and Forgotten Cocktails” de Ted Haigh o que fomentou ainda mais a história de Seger.
Depois de longos anos o bartender veio a público esclarecer que a história e o coquetel não são de 1912.

São poucos os drinques do baú que podemos ver o próprio criador executando sua receita, então aproveite Adam Seger preparando seu Seelbach Cocktail aqui abaixo.

Para este 1° de abril fica a reflexão sobre histórias de coquetéis clássicos e termino com uma frase célebre do escritor Mark Twain:

“Nunca deixa a verdade atrapalhar uma boa história.”

Compartilhe sua experiência com #DrinqueDoBau e deixe seu comentário abaixo.