Cozinha 212 oferece bar inventivo e marginal pelas mãos de Diogo Sevílio

O restaurante Cozinha 212, aberto em maio de 2016 pela dupla Stefan Weitbrecth e Victor Collor, pôs fim à dúvida que reinava sob o imóvel da Rua dos Pinheiros, 174, em Pinheiros, que recebeu durante os últimos três anos o restaurante Beato, de Alberto Landgraf nas panelas e Kennedy Nascimento nas coqueteleiras, fechado em 2015.

No ambiente rústico, brilha à luz baixa uma atrativa grelha, de onde saem peixes, frutos do mar e carnes. A gastronomia bruta, baseada no calor de seus ingredientes usados da forma mais primitiva possível, dão ritmo ao que sai da cozinha, aberta à vista dos clientes.Do lado de fora, mesas baixas e banquetas para fumantes e amantes da rua, do lado de dentro, aconchegante e intimista, mesas à luz de velas. No centro disso tudo, o bar de Diogo Sevílio e equipe dita o tom da noite através de coquetéis, sorrisos e muito papo.

Diogo traz frescor e criatividade à uma coquetelaria que tem se rendido, como poucas vezes visto, à ícones da indústria de bebidas, como os Gin Tônicas, principalmente.

Diogo, que trabalha em bares a mais de 10 anos, teve passagens pelo pizzaria Piola, bar Sonique, hotel Renaissance, mas foi no restaurante Vito que desenvolveu-se e lapidou seu estilo de balcão.

A carta de bar acompanha um conceito muito prático e que norteia as panelas e as coqueteleiras do Cozinha 212. Uma cozinha simples, que utiliza de um combustível ancestral e pode ser de alguma forma, reproduzida facilmente por qualquer um.

Para promover a experiência única do aconchegante balcão do 212, Diogo desenvolveu junto com toda a equipe de salão e bar, três pilares que podem ser traduzidos em:

Repertório, em outras palavras é entregar para o cliente opções de escolha, diversidade de produtos, que é dividido por perfil de sabor dos coquetéis.

Ancestralidade
 que está na forma de transformação e manutenção  dos alimentos e no preparo, nas técnicas utilizadas, que dá uma noção de criatividade mais responsável, mais focada e menos fantasiosa. Preparar os próprios licores, fazer pickles, fermentar alguns alimentos, preparar o próprio gelo são algumas das maneiras onde a Ancestralidade se apresenta.

Marginalidade,
que devolve para o cliente o poder de escolha de ingredientes que ele nem sabe que gostaria e por conta das oportunidades de marketing e tendências ele não tem fácil acesso.
Bebidas que já estão inseridas no consumo popular brasileiro, que não tem o valor agregado de grandes marcas, ou bebidas preparadas no próprio bar, que o tornam naturalmente mais baratas. Bebidas como Cynar, Domecq, Catuaba, Jurubeba, Fogo Paulista e Brasilberg fazem parte das opções do bar para a combinações dos coquetéis.

Conheça o drinque Hoje Tem, de Diogo Sevílio para o Mixology News.

Segundo Diogo, o resultado de tudo isso “é devolver ao cliente o poder de escolha, empoderar o cliente novamente do seu direito de escolha. Dar ao cliente consciência do que ele bebe, reconhecendo sabores, processos e naturalmente perder preconceitos. A mesma mesa pode pedir um Rabo de Galo de 22 reais ou se quiser Gin Tônica de luxo à 60 reais.”

No bar, destaque para o refrescante Cynar Tônica,(R$22) à base de amaro Cynar, limão e água tônica. Acerto também está no Half Bloody Brother (R$32), um bloody mary com tintura de beterraba em vodka Ketel One, suco de tomate temperado e borda crustada com sal de Angostura. Na foto acima está o Cambuci (R$ 28), que leva gin Tanqueray, água tônica e purê artesanal de cambuci.

COZINHA 212
end: Rua dos Pinheiros, 174, Pinheiros, São Paulo
horário: ter a sex: 19:00-00:00 / sáb: 13:00-16:00 e 19:00-00:00
tel: (11) 2478 6612

preço dos drinques: $$$
capacidade: 86 lugares
serviço: aceita reserva/ ar condicionado / área para fumante

facebook: www.facebook.com/cozinha 212
instagram: www.instagram.com/cozinha 212